Teste e Avaliação Comparativo. Como se comportam as 3 gerações da linha Mizuno Supersonic Wave






À primeira vista, a linha Mizuno Supersonic Wave parece ser apenas mais chuteira de couro clássico. Ela exala conforto e elegância (típicos da Mizuno), mas fora isso, não há nada de muito especial sobre o design da Supersonic Wave.

Mizuno Supersonic Wave não aparenta nada de tão revolucionário ou diferente em termos de design, em comparação com outras chuteiras no mercado, e até da própria Mizuno como, por exemplo, as Wave Ignitus com seus painéis Mukaiten.
Ela não tem elementos que potencializem a força do chute ou elementos externos que favoreçam o toque e domínio de bola, o que te dá um toque mais “limpo” na bola.
Mizuno Supersonic Wave foi concebida para ser um modelo “normal”.

Mas em uma inspeção mais aprofundada, você vai ver que é muito mais. Ao tocar e usar o modelo, você nota que na parte dianteira do pé do couro é “empurrado para cima” por uma espuma de memória que realmente ajuda quando você está tentando controlar a bola.

Nesse Teste e Avaliação, o primeiro que publico sendo comparativo, faremos um comparativo entre as três gerações da linha Mizuno Supersonic Wave no intuito de diferenciá-las, posicionando cada um dos modelos para que o leitor possa ter uma visão melhor entre eles na hora da escolha.


Nunca vendido no Brasil, o modelo Mizuno Supersonic Wave 1 foi adquirido do leitor Leandro.


O modelo Mizuno Supersonic Wave 2 foi o primeiro trazido ao Brasil pela fabricante, em um terrível esquema de cores em branco/preto/rosa (rosa Mizuno???).


Já o modelo Mizuno Supersonic Wave 3 é mais comumente encontrado, nas cores preto/amarelo.



VISÃO GERAL

Na linha Mizuno Supersonic Wave temos características que são comuns às três gerações.

1 - O cabedal é feito em couro de canguru.


2 - A parte interna do calcanhar e tornozelo são revestidas em camurça para um ajuste muito confortável e seguro, travando o pé. Isto que garante 90 minutos de jogo completamente livre de bolhas.


3 - A língua é uma combinação de mesh e couro sintético, com um pouco de enchimento para aumentar o conforto geral da chuteira.


4 - O sistema FTS (Feather Touch System) equipa a parte frontal da chuteira com dois tipos de esponja de memória de baixo perfil, que oferecem excelente amortecimento, o que produz um controle de bola mais estável. Outra característica é a redução do “efeito rebote” entre a bola e o pé. Veja abaixo uma demonstração da fabricante sobre como o FTS funciona:





5 - A palmilha é feita com um material extremamente aderente, o que significa que seu pé não se move dentro da chuteira, o que é um ponto altamente positivo.


6 - O solado em PEBAX, com barras de estabilização na parte medial do pé, é o mesmo nas três gerações.
O esquema de travas no solado é chamado pela fabricante de “tiger claw”, em razão do seu visual inspirado nas garras de um tigre. Elas tem saliências laterias, parecidas com “asas”, que proporcionam maior tração e estabilidade; além de maior conforto.
A tecnologia Wave de amortecimento localizada no calcanhar da chuteira proporciona amortecimento extra.


Agora, passaremos às particularidades de cada um dos modelos.



Mizuno Supersonic Wave 1 é um modelo de linhas limpas e elegantes que pesa apenas 215 gramas.


Logo ao visualizar o modelo Supersonic Wave 1, você logo pensa: “- Hum, essa chuteira é uma luva...”.
Em termos de conforto, é isso mesmo que a chuteira revela quando você passa 90 minutos com ela nos pés. Direto da caixa para o campo, você passa o tempo inteiro sem desconforto algum, e chega ao final sem sinais de contato excessivo ou bolhas nos pés.
É uma chuteira que se comporta no primeiro uso como se fosse aquela sua chuteira usada há mais de 5 anos.


Uma ponto que ajudou a fazer as Mizuno Supersonic Wave 1 populares é o peso.
Como todas as Mizuno, elas são extremamente leves, especialmente quando você tem em mente que elas são de couro.
Elas tem o mesmo peso que uma Nike Mercurial Vapor Superfly II, por exemplo, que pesam 215 gramas. Apesar de não serem páreo para as speed boots, seu peso fica bem abaixo das outras control boots do mercado.


Com seu cabedal em couro, elas oferecem uma boa proteção para o pé.


O que a Mizuno Supersonic Wave 1 tem que as Supersonic Wave 2 e Supersonic Wave 3 não tem?
Um design mais limpo e clássico, além do toque mais natural do couro do cabedal.



Como sua “irmã mais velha”, o modelo foi construído para ser uma control boot.


Sinceramente, quando peguei o modelo nas mãos, pensei: “- Esse couro, não sei não...”.
Tendo usado o excelente modelo predecessor que fez meus olhos brilharem, achei que a Supersonic Wave 2 iria me dar trabalho. Lembro que tirei a chuteira da caixa, pus na bolsa (junto com minha Morelia, só por precaução, hehehe...) e fui a campo.
Felizmente, eu não precisei tirar a Morelia da bolsa! Durante a corrida de aquecimento, a Supersonic Wave 2 já se apresentou bem confortável, não tanto como a Supersonic Wave 1, mas confortável. Assim como a Supersonic Wave 1, os primeiros 45 minutos de jogo não foram problema para ela em termos de conforto.


O couro do cabedal não é tão impressionante quanto o da Supersonic Wave 1. Ele tem um toque mais sintético do que o da Supersonic Wave 1, o que pode ser creditado à diferença de tratamento dado a ambos os materiais. Nesse ponto, parece que o couro da Supersonic Wave 2 recebeu uma camada impermeabilizante que não notei na Supersonic Wave 1. Talvez, devido a isso, a Supersonic Wave 2 absorve menos água do que a Supersonic Wave 1.
Supersonic Wave 1 tem um cabedal de couro com um toque mais “natural” do que a Supersonic Wave 2.
Enfim, em termos de conforto, a Supersonic Wave 2 funciona como pretendido, mas não é sensacional.


Um aspecto desse modelo que realmente prende a atenção  são as costuras enviesadas do cabedal, onde foi aplicado o Feather Touch System.
Outra coisa que você vai notar,além da costura angular de forma muito incomum, é que algumas destas almofadas receberam uma faixa de PU impresso ao longo dos painéis. Isto dá ao cabedal um nível extra de amortecimento, produzindo maior controle de bola.


Outro ponto em questão é que o cabedal da Supersonic Wave 2 não laceia (alarga) tanto quanto o da Supersonic Wave 1. Tal fato pode ser explicado pelo esquema das costuras aplicadas ao cabedal.

O que a Mizuno Supersonic Wave 2 tem que as Supersonic Wave 1 e Supersonic Wave 3 não tem?
Costuras perpendiculares no cabedal, que criam um visual único; além de faixas de PU impresso ao longo dos painéis FTS.


Com relação ao design, a Mizuno Supersonic Wave 3 tem um bom projeto, mas não é nada fora do comum, como suas rivais Predator LZ e CTR360.


Visualmente falando, e em comparação com as versões anteriores do modelo, a versão 3 não é mais bonito do que a versão 1, mas é muito mais bonita do que a versão 2.
Nesta versão a Mizuno aboliu as costuras enviesadas da Supersonic Wave 2, retornando a um visual mais parecido com a Supersonic Wave 1.

Como se pode esperar de qualquer chuteira feita em couro de canguru, a Supersonic Wave 3 é extremamente confortável. Na primeira vez que eu usei as chuteiras, elas saíram direto da caixa para a bolsa, e daí para o campo (sem precisar levar a Morelia...).
Em relação ao conforto, ela é mais confortável do que a Supersonic Wave 2, e tão quanto a Supersonic Wave 1.


O cabedal da Supersonic Wave 3 é feito em couro de canguru extremamente macio, oferecendo uma sensação suave e confortável.
Nas laterais do cabedal, a Supersonic Wave 3 tem duas faixas feitas em material sintético, assegurando que o sapato não vai lacear (esticar) de maneira exagerada.
Pesando 265 gramas, a Supersonic Wave 3 é a mais pesada das três gerações.


O que a Mizuno Supersonic Wave 3 tem que as Supersonic Wave 1 e Supersonic Wave 2 não tem?
Faixas de material sintético nas laterais que impede o laceamento excessivo do cabedal.


VEREDITO FINAL

Sendo meio-campista, as Mizuno Supersonic Wave respondem perfeitamente ao que eu espero e preciso paro o meu estilo de jogo.

Outra área em que as Supersonic Wave destacaram-se foi a sua durabilidade.
Com o uso, a costura interna que mantém o cabedal e o solado juntos se desfaz.
Outro ponto é o aparecimento de manchas e sinais de desgaste, especialmente em chuteiras brancas.
Nos três modelos usados, não há nenhum sinal de qualquer destes problemas, mesmo no modelo Supersonic Wave 2 que é branco, mesmo após vários meses de uso.
Supersonic Wave 1, aliás, está melhor do que quando nova, no que se refere ao conforto e maciez do cabedal, apesar de ser o único dos três modelos que apresentou um sinal de descolamento do solado. Mas, devemos levar em consideração que se trata de um modelo fabricado em 2010.


Em termos de manutenção as Supersonic Wave tem um contra: o solado.
A Supersonic Wave tem um solado com barras de estabilização que são um terror na hora de limpar a chuteira.
O cabedal só precisa de um pano com água, mas, retirar toda a terra acumulada nos sulcos da parte medial do pé é um verdadeiro suplício.
Uma maneira, que não pode ser considerada fácil, é usar palitos de dente para arrastar a terra da parte mais estreita para a parte mais larga dos sulcos e retirá-los depois com uma escova. Ou seja, é uma tarefa chata e necessária.



PONTUAÇÃO POR QUESITO
(de 0 a 10 num total de 70 pontos possíveis)

SSW 1
SSW 2
SSW 3
CONFORTO
9,5
8,5
9
PROTEÇÃO
9
9
9
PESO
8
8,5
7
VALOR
8
9
8,5
PERFORMANCE
9,5
8,5
9
TECNOLOGIA
8,5
8
8,5
DURABILIDADE
8
9
9

TOTAL
60,5 ou 86,5%
60,5 ou 86,5%
60 ou 85,7%


Siga o Blog no Twitter e curta nossa página no Facebook para saber das últimas atualizações.